problem loading posts

Sempre tem alguém que vai te fazer sentir uma pessoa melhor. Vai te dar novos motivos pra viver, vai te aceitar e mesmo que tudo pareça complexo, ela vai estar lá segurando sua mão. Você não vai precisar exigir amor, e nem agir como outra pessoa, ela simplesmente vai aceitar seu jeito de ser e vai amar até mesmo seus defeitos, não vai ter insegurança e nem discórdia. E você não vai precisar procurá-la, pois é ela quem vai te encontrar.

Jhennifer Werneck (via te-eternizo)

(Fonte: segredou, via te-eternizo)

Só me fala que vai me aturar. Aturar todas as minhas crises de ciúmes, meus momentos - não tão raros - sem paciência, as minhas desconfianças e meus surtos de insegurança. Aturar meus dramas, minhas teimosias, minha arrogância, minhas piadas sem graça e o meu não-romantismo. Aturar todos os meus tipos de provocação, meu amor por outras pessoas, minhas mudanças inconstantes de humor e de temperamento. Aturar minha mente confusa, minha memória irritante, minha sinceridade exagerada. Aturar quando eu falar que te amo mais e também quando eu não falar que te amo. Aturar e segurar tudo não por mim, nem por você… Mas por nós.

Tati Bernardi.    (via te-eternizo)

(Fonte: decifro, via te-eternizo)

Tá vendo a felicidade ali na frente? Não, você não tá vendo, porque tem uma montanha de dor na frente. Continue andando. Você vai subir, vai sentir frio lá em cima, cansaço. Vai querer desistir, mas não vai desistir, porque você é forte e porque depois do topo a montanha começa a diminuir e o único jeito de deixá-la pra trás é continuar andando. Você vai ser feliz. Tá vendo essa dor que agora samba no seu peito de salto de agulha? Você ainda vai olhá-la no fundo dos olhos e rir da cara dela. Juro que tô falando a verdade. Eu não minto. Vai passar.

Caio Fernando Abreu. (via te-eternizo)

(Fonte: desafagos, via te-eternizo)

Tem gente que tem cheiro de passarinho quando canta. De sol quando acorda. De flor quando ri. Ao lado delas, a gente se sente no balanço de uma rede que dança gostoso numa tarde grande, sem relógio e sem agenda. Ao lado delas, a gente se sente comendo pipoca na praça. Lambuzando o queixo de sorvete. Melando os dedos com algodão doce da cor mais doce que tem pra escolher. O tempo é outro. E a vida fica com a cara que ela tem de verdade, mas que a gente desaprende de ver.

Ana Jácomo.  (via palavrisses)

(Fonte: pouso-do-conto, via palavrisses)